Questão de desempenho

Soluções de poliuretano garantiram alto desempenho do esporte nos Jogos Rio 2016. Mercado está aberto a inovações

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 mostraram ao mundo as diversas formas de a Dow transformar eventos esportivos em experiências intensas para atletas e espectadores, graças às soluções de excelência empregadas em itens infraestruturais da competição. Algumas dessas tecnologias estiveram presentes dentro dos dois campos de hóquei sobre grama, no Centro Olímpico de Hóquei, em Deodoro, na zona oeste do Rio.

Um dos destaques foram as bolas usadas na disputa da modalidade: elas eram compostas de um núcleo de microespuma feito sob medida, desenvolvido com polióis da Dow. Com uma consistência maior do que as tradicionais esferas de hóquei – fabricadas com cortiça e borracha vulcanizada ou de polímero sólido –, o desempenho sobre a grama sintética foi superior.

O mesmo sistema de grama sintética dos campos guardou sob as suas fibras azuis mais soluções que fizeram a diferença para jogos mais disputados. Uma delas foi aplicada na base da grama sintética, que proporcionou diversas vantagens, entre as quais maior durabilidade. “O gramado fica exposto, molha e se desgasta com o tempo. A tecnologia à base de látex que normalmente vemos em quadras espalhadas por cidades brasileiras solta as fibras, principalmente pelo contato com a água. Isso não acontece com a tecnologia à base de poliuretano, desenvolvida de forma pioneira pela Dow, anos atrás, quando ainda era utilizada nos Estados Unidos para outras finalidades que não envolviam esportes. Por isso, temos muito conhecimento nessa área”, explica Vinicius Serves, Gerente de Aplicação e Assistência Técnica de Poliuretanos na América Latina.

A solução conta também com uma camada de espuma, de poliuretano, que é fundamental para a saúde de atletas de alto desempenho. “Ela diminui o impacto do jogador contra o solo, situação bastante comum no hóquei sobre grama. É uma vantagem requerida para evitar lesões. Essa é mais uma das inovações da Dow, que introduziu a espuma na base do carpete e depois a aprimorou para uma base esportiva”, conclui Vinicius.

NOVOS MERCADOS

O protagonismo do poliuretano no esporte profissional pode abrir novos horizontes de mercado para a Dow. Para Vinicius, é natural que as soluções comecem a ser consideradas tanto em quadras para locação recreativa como em centros de treinamento.

“Você reduzirá custos a longo prazo, já que precisará trocar muito menos vezes o gramado, e ainda investirá na saúde e segurança dos seus atletas, pois estarão menos expostos a contusões”, ressalta. A produção de base de carpete em poliuretano requer um gasto inferior de energia para curar durante o seu processo produtivo, além de dispensar o uso de água em procedimentos de lavagem, vantagens que beneficiam diretamente o meio ambiente.

SOLUÇÕES NO GRAMADO
ENHANCER:

Espuma anti-impacto, importante para evitar lesões nas articulações dos atletas durante a partida.

ENFORCER:

Tecnologia que fixa as fibras do gramado, garantindo que elas não se soltem, mesmo após exposição à umidade.