Iniciativa pela segurança

Iniciativa pela segurança

Treinamentos e suporte da Dow a clientes reduzem riscos de acidentes e contaminações provocados pelo mau uso de TDI

A segurança é indispensável para a indústria química. E de nada adianta praticá-la unilateralmente, sem que exista uma troca efetiva de iniciativas entre todos os agentes da cadeia. No negócio de PU especificamente, a Dow tem um histórico que traduz em atitudes práticas as palavras acima.

O diisocianato de tolueno (TDI), usado na fabricação de espumas rígidas e flexíveis, fibras e revestimentos, como tintas e vernizes, e elastômeros, é um composto extremamente tóxico por inalação que precisa ser manuseado e estocado sob rígidas normas de segurança e de proteção ao meio ambiente.

De acordo com o que é praticado na maioria das indústrias, a responsabilidade da empresa fornecedora terminaria no momento que o produto, seja ele perigoso ou não, é entregue aos clientes. Mas não é isso o que a Dow faz. "Realizamos vistorias das instalações antes de concluir a venda e complementamos com treinamentos em casos de produtos perigosos, principalmente os que são adquiridos a granel e classificados como perigosos. Esse trabalho é parte do Product Stewardship [leia mais no boxe], compromisso global da Dow com Responsable Care (Atuação Responsável), que visa as melhores práticas no ciclo de vida do produto, ou seja, desde a fabricação do produto até a sua disposição", explica Clarissa Tavares Martins, Especialista em EH&S e Product Stewardship.

A conscientização e a orientação quanto às intervenções que devem ser feitas para que o TDI não represente um risco para as pessoas e o entorno é um compromisso da Dow que extrapola as metas do negócio. Afinal, uma única gota da substância em uma sala é suficiente para causar efeitos à saúde de quem esteja por perto. O apoio, que não é oferecido por todas as empresas, é muito valorizado pelos parceiros.

"Estou há quase oito anos na área e recebi muitos feedbacks positivos. Somos uma referência para a indústria química Tenho certeza de que, assim, evitamos acidentes, além do próprio desperdício do produto", complementa.

De vistorias a manual

O suporte oferecido por Dow na envolve várias etapas. Rogerio Baixo, Químico de Pesquisa e Desenvolvimento, detalha o seu alcance. "Para começar, não fazemos vendas a um novo cliente sem vistoriar e auditar o seu estabelecimento e verificar se ele tem condições de receber o TDI. Para os parceiros antigos, fazemos treinamentos periódicos para enfatizar o manuseio e a estocagem e lembrar as pessoas sobre a importância do uso de equipamentos de proteção individual (EPIs)", diz Rogerio.

Tudo é analisado e rechegado durante as visitas, incluindo dicas de proteção dos equipamentos de armazenagem contra a umidade do ar e a luz do sol, informações de controle, pressão e temperatura da substância e verificação de itens necessários (como chuveiro de emergência, revestimento do solo e contenção secundária para estancar vazamentos).

Além disso, os clientes também recebem um manual informativo. "Já chegamos a locais que precisam de adequações em todos estes pontos. O trabalho de conscientização é muito forte e indispensável", conclui Rogerio.

Compromisso global

O Product Stewardship uma das práticas da iniciativa do Responsible Care® (ou Atuação Responsável®, como é chamado no Brasil, onde foi lançado pela Abiquim), é um compromisso global assumido pela Dow que garante diversos benefícios para a Companhia e para toda a cadeia:

- Melhora a sustentabilidade dos produtos

- Zela pela saúde e segurança dos usuários e dos funcionários

- Atende à demanda dos clientes por informações

- Incentiva o uso seguro de produtos pelos clientes

- Auxilia os clientes a cumprirem e anteciparem os regulamentações

No Brasil, segundo dados do Atuação Responsável, os dias perdidos por causa de acidentes (em relação às horas de exposição ao risco), por exemplo, caiu de 224,2 dias (2006) para 49 dias (2013), uma demonstração de que medidas de segurança adotadas pela indústria química estão surgindo efeito.