Pesquisa de excelência

Erlenmeyer Flask

Laboratório de Inovação Tecnológica de Poliuretanos em Jundiaí (SP) realiza pesquisas e testes para a inovação em diversos setores da indústria

A pesquisa e o desenvolvimento são elementos fundamentais da inovação química na Dow. E uma das principais ferramentas para isso é o Laboratório de Inovação Tecnológica de Poliuretanos em Jundiaí (SP), o mais bem equipado da América Latina.

Em uma área de mais de mil metros quadrados – onde estão localizados laboratórios para testes físicos e de caracterização de Polímeros e uma planta piloto, entre outras instalações –, são realizadas diversas atividades de excelência, desde pesquisas em pequenas escalas até grandes testes que envolvem maquinários simulando as aplicações na linha produtiva de parceiros e clientes.

“Nossos contatos estratégicos contam com a estrutura. No caso do Brasil, faz parte de nosso compromisso estar muito próximos dos mercados e de seus agentes para que possamos criar aplicações inovadoras e sustentáveis. De fato, estamos sempre procurando inovações para toda a cadeia”, aponta Marcelo Fiszner, Diretor de Marketing e Tecnologia para Poliuretanos para a América Latina.

As pesquisas e testes são aplicados em colchões, travesseiros, mobiliário, calçados, cadeia do frio e construção, além de usos industriais, produtos automotivos e tecnologias de de petróleo e gás, entre outros segmentos. “Temos ainda quatro máquinas de injeção de poliuretano para todo o tipo de espumas e fazemos o gerenciamento de pentanos, além de auxiliarmos em operações de espuma flexível com blocos de até um metro cúbico”, conta.

Espaços semelhantes existem no México, na Argentina e na Colômbia. O local também está integrado a uma vasta rede de laboratórios da Dow em poliuretano, cujas principais unidades estão nos Estados Unidos e na Itália. No Brasil, a equipe é composta por sete engenheiros de serviço técnico e desenvolvimento e seis técnicos de laboratório.

Infraestrutura ampla

As instalações em Jundiaí oferecem inúmeras possibilidades de estudos para parceiros da Dow, como análises de perfil de reatividade de sistemas de poliuretano; de formulações de elastômeros, espumas flexíveis, espumas rígidas e termofixos híbridos contendo poliuretanos e outras especialidades químicas; de peças moldadas para avaliação de aplicação do material em filtros, adesivos e calçados; de estabilidade dimensional e fotooxidativa; de determinação de parâmetros físico-químicos e térmicos em materiais de poliuretano; e de testes em espumas flexíveis conforme norma compulsória ABNT NBR 13579-1 realizados no novo Centro de Tecnologia.

A realização destes diferentes tipos de pesquisas é possível porque as instalações, uma das mais tecnológicas e integradas de toda a América Latina, estão divididas em especialidades distintas:

Laboratório de Testes Físicos e Analíticos e Laboratório de Elastômeros: nele, é feita a customização de soluções e formulações em poliuretano por meio, por exemplo, de agitadores mecânicos para homogeneização de sistema de até 1 kg e moldes miniaturizados com controle de temperatura.

Laboratório de Testes Físicos: está equipado com equipamentos de última geração para ensaios de avaliação de vida útil de materiais e ensaios para determinação de propriedades físicas e estruturais importantes para as mais diversas aplicações de materiais em poliuretano, permitindo o estudo de tensão de ruptura e alongamento, resistência ao rasgo e indentação por deflexão (dureza), entre outras necessidades de empresas do setor.

Sistemas de Injeção: as injetoras de alta e baixa pressão, com controle variável de temperatura, pressão e vazão e programação de ciclos, permitem estudos de injeção de espumas rígidas contendo ciclopentano para isolamento térmico, avaliação de uso de novas matérias-primas e/ou agentes de expansão alternativos (simulação de condições reais de processo) e injeção de espumas flexíveis de alta densidade ou microcelulares (>200 kg/ m3), além de outras atividades.