Para beneficiar clientes, Dow e Maersk formam parceria no Chile

Parceria com a Maersk Container Industry no Chile fortalece o posicionamento da Dow como líder no setor químico

Com alcance em todo o mercado asiático, os países da costa oeste da América do Sul são alguns dos maiores exportadores mundiais de alimentos frescos.

A Maersk Container Industry, segunda maior fabricante de contêineres refrigerados do mundo, percebeu o potencial latino-americano e irá inaugurar uma fábrica de contêineres refrigerados em San Antonio, próximo a Valparaiso, maior porto do Chile. A instalação produtora de reefers (equipamento refrigerado utilizado para o carregamento de cargas perecíveis) é a primeira do tipo fora da Ásia e oferecerá aos produtores locais os contêineres necessários para impulsionar o comércio global de alimentos.

No projeto, a Maersk Container Industry contará com o conhecimento, treinamento e matérias-primas químicas da Dow.

“Estamos falando da maior iniciativa de sistemas de poliuretano de uma companhia na América Latina, com a participação de funcionários de diversas localidades, como o Centro Global de Pesquisa e Desenvolvimento de Poliuretanos em Correggio, na Itália, a representação na China e algumas de nossas unidades latino-americanas. A coordenação do trabalho, tanto do ponto de vista técnico quanto comercial, é uma conquista por si só”, afirma Gabriel Rodriguez Garrido, Diretor de Vendas de Poliuretanos da Dow para Região Sul da América Latina.

Benefícios para os clientes

A parceria reflete o crescimento do mercado de PU na América Latina e as perspectivas de aumento de produção da Dow graças ao projeto Sadara, uma joint venture com a Saudi Arabian Oil Co. (Aramco) para a construção de um dos maiores complexos industriais do setor químico no mundo, a ser concluído até 2015.

Após um período inicial de vários anos e dependendo da economia global, a nova fábrica da Maersk deverá produzir aproximadamente 40.000 contêineres ao ano – colocados em linha reta, eles cobririam uma distância de cerca de 490 quilômetros –, com uma demanda estimada de 19.000 toneladas anuais de poliuretano expandido. “Tivemos a chance de participar desse projeto desde o início. Por isso, estamos colaborando com o desenho da logística das matérias-primas e capacitação de pessoas em relação à segurança e utilização dos produtos, entre outros aspectos”, complementa Gabriel.

A Dow precisou colocar em prática um planejamento muito bem definido para atender às necessidades da Maersk. A planta tem um papel crucial na redução do déficit de contêineres refrigerados na costa oeste da América do Sul. Para tanto, uma parte dos sistemas de poliol será fornecida pela planta de Cartagena, na Colômbia, enquanto a unidade de Freeport, nos EUA, contribuirá com o difenilmetano diisocianato (MDI).

Oportunidades renovadas

Por meio desse projeto, a Maersk adquirirá soluções inovadoras da Dow. A Dow, por sua vez, reforça seu posicionamento como líder do setor químico líder e cria perspectivas em outros setores.

“A parceria com a Maersk abre um mundo de oportunidades uma vez que ganhamos maior visibilidade em diferentes segmentos, como o de poliuretanos rígidos no setor de mineração, novos desenvolvimentos com painéis rígidos, entre outros mercados”, explica Gabriel.

BOXE

Dados sobre a Maersk Container Industry de San Antonio

Terreno 330.000 m2
Produção quando operar com capacidade total* Até 40.000 contêineres por ano
Total de funcionários quando operar com capacidade total* Máximo de 2.000
Componentes por contêiner 610

* dependendo do crescimento da economia global e após a fase inicial de vários anos

Fonte: Maersk Container Industry