Caminhos sustentáveis

Arial view of building

Iniciativa de geração de biomassa de eucalipto na Bahia é mais um passo rumo à meta de 400 MW de energia limpa até 2015

A parceria entre a Dow e a ERB (Energia Renováveis do Brasil) continua rendendo benefícios à Companhia, aos seus clientes e ao meio ambiente: a inauguração de uma planta de cogeração de vapor e energia a partir de biomassa de eucalipto (matéria-prima de alta disponibilidade no Brasil e de segurança em seu manejo) no complexo de Aratu, na Bahia, é a prova mais recente disso. “É um projeto de grande escala, no qual empregamos tecnologia de última geração com o que há de mais moderno e inovador”, afirma Emílio Rietmann, presidente da ERB.

A iniciativa é pioneira no setor petroquímico e permite que parte do gás natural utilizado em processos produtivos seja substituído, fazendo com que 75% do consumo energético do complexo industrial provenha de energias limpas – parte dessa porcentagem tem origem em outras fontes, além da biomassa de eucalipto. Antes, a matriz energética de Aratu possuía 45% de energia elétrica (fornecida pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco - Chesf) e 55% de energia térmica por meio do gás natural.

Com o projeto, a Dow substituirá em Aratu 50% da energia térmica por energia limpa. “Hoje, contamos com uma matriz energética muito mais limpa, o que nos ajuda a reduzir a pegada de carbono. Esse projeto reforça o nosso compromisso com o meio ambiente”, ressalta Marcelo Fiszner, Diretor de Marketing e Tecnologia para Poliuretanos para a América Latina. Prova disso é o fato de que 42 mil toneladas de CO2 deixarão de ser lançadas ao ano na somente na produção de óxido de propileno (PO) gerado nesta plantao que equivale a uma diminuição de 45% de emissão em comparação à matriz energética anterior,um benefício que se estenderá a todos os clientes que utilizam produtos derivados dessa matéria-prima, como os poliois (principal matéria-prima para fabricação dos poliuretanos) e os poliglicóis.

Iniciativa em números

R$ 265 milhões investidos no projeto de energia renovável;

1,08 milhão de toneladas de vapor industrial e 108 mil MWh de energia elétrica é a capacidade de produção anual;

10,4 mil hectares de madeira proveniente de eucalipto de reflorestamento próprio utilizados ao longo dos 18 anos de contrato entre a Dow e a ERB;

  • Recuperação de áreas degradadas para a formação das florestas;
  • Redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE);
  • Redução de 200 mil m³ por dia de gás natural = 180 mil toneladas/ano de CO2;
  • 98% das partículas que seriam lançadas na atmosfera com a combustão da biomassa são capturadas por filtros.