Eduardo Bastos, Líder de Relações Institucionais da Dow Brasil, comenta sobre os 50 anos da Abiquim, entidade da qual a Dow é associada, participando ativamente de discussões, eventos, encontros etc., que promovem o crescimento e desenvolvimento da indústria química nacional.

Décadas de sucesso

A Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química) comemora este mês cinco décadas de atuação constante, durante as quais ajudou a consolidar o setor que ocupa o quarto lugar em representatividade no PIB do Brasil. São inúmeras as conquistas ao longo destes 50 anos e não é equívoco afirmar que foi graças à associação que nossa indústria ganhou importância econômica no País. É por meio dela, por exemplo, que todas as empresas químicas têm um ambiente saudável de discussão, tanto entre elas quanto com outros setores econômicos, uma vez que a química é a base para várias outras indústrias. Somos milhares de pessoas envolvidas nessa cadeia produtiva, e a atuação da Abiquim nestes 50 anos reflete esta robustez.

Destaco aqui algumas conquistas que a associação promoveu para o setor, como a certificação Sassmaq, sistema que possibilita uma avaliação do desempenho nas áreas de segurança, saúde, meio ambiente e qualidade das empresas que prestam serviços logísticos à indústria química, seja qual for o modal. Quem obtém essa certificação trabalha com os melhores e mais altos padrões de manuseio. São 13 anos de um sistema que garante a qualidade logística de produtos que certamente precisam ser transportados sob o mais rígido controle.

Sua representatividade perante o governo também é fundamental. Sem a associação, o setor dificilmente conseguiria se articular para obter conquistas relevantes, como a Medida Provisória 613. Aprovada no fim de 2013, a MP desonera os produtores de etanol, as indústrias químicas e petroquímicas de recolher tributos, como o PIS e Cofins. Essa concessão de incentivo teve um grande impacto no segmento e a Abiquim contribuiu para mais essa vitória.

Outro exemplo de seu papel extremamente relevante para nossa indústria é a possibilidade de enxergar o futuro. Com financiamento do BNDES, foi viabilizado o estudo sobre a diversificação da indústria química no Brasil. Realizado pelo consórcio Bain & Company/Gas Energy, ele permitirá um planejamento de longo prazo e, desta forma, todo o setor poderá avaliar com mais segurança as possibilidades de mercado e atrair maiores investimentos. Tudo com o objetivo de desenvolver ainda mais a indústria química brasileira.

Por sua vez, a Dow tem ampla participação nos comitês da Abiquim, com 18 profissionais atuando ativamente nos diálogos promovidos pela entidade e fazendo que ela seja uma das principais associações da qual a Dow faz parte. Por isso, para nós é um orgulho comemorar estes 50 anos ao lado da Abiquim! E tenho certeza de que seu sucesso permanecerá ainda por muitos anos.